get lost
IMG-0749_cmyk copy.jpg

coleção postal

coleção postal

IMG-0749_cmyk copy.jpg
 

Em nossa constante busca por experimentar com o processo projetual, decidimos novamente explorar a influência da comunicação no trabalho em dupla. Na coleção shh., apresentada na edição passada do MADE, utilizamos o silêncio como conceito e desafio, projetando sem utilizar a linguagem verbal. Nesta edição, apresentamos a coleção postal, uma investigação sobre a relação entre distância espacial e temporal na comunicação.

Após visitarmos uma tradicional fábrica de luminárias, nos sentimos como saídos de uma viagem no tempo, uma experiência à la “Meia-noite em Paris”, e conversamos sobre como seria projetar à distância em uma outra época. A inspiração veio da dupla “The Kills”, que no início da carreira colaborava à distância enviando fitas com músicas pelo correio: um nos EUA, o outro na Inglaterra.

Projetar pelo correio, esta foi a nossa premissa.

Entre o final de Abril e o início de Junho de 2016, trocamos cartas semanalmente, um total de 10 cartas. As primeiras cartas foram enviadas simultaneamente, com a reflexão inicial de cada um sobre o briefing: uma linha de luminárias. As seguintes foram respondidas alternadamente, até a seleção das alternativas para detalhamento.

Ao longo do processo, a distância tornou-se evidente de diversas maneiras:

A distância espacial entre nós, vivendo em cidades diferentes, refletida em distância temporal entre cada etapa da discussão sobre o projeto.

A distância entre a ideia escrita e enviada por carta, e a ideia em evolução na mente após uma semana, quando se recebe a resposta.

A distância para com o próprio ato de escrever, enviar e receber uma carta, tão pouco comum no nosso dia a dia.

A distância temporal entre o desenvolvimento da ideia, em 2016, e a produção das peças em 2017.

As luminárias refletem o sentimento nostálgico dos anos 20, um passado “dourado”, porém com uma leitura contemporânea voltada à praticidade e ao morar inteligente, um conceito que chamamos de “fancy boêmio versátil”.

O “fancy boêmio” está presente nos materiais, acabamentos e formas, que fazem referência a instrumentos de jazz, bem como na iluminação indireta proporcionada pelas luminárias, que cria uma atmosfera nostálgica. O “versátil” manifesta-se na construção da linha, que pode ter sua função alterada entre luminária de parede ou de chão com a variação de apenas uma peça.

 

During a visit to a traditional luminaire factory, we felt like a trip back in time, an experience like in the movie "Midnight in Paris", and we talked about how it would be project from a distance at another time. The inspiration came from the duo "The Kills", who at the beginning of their career collaborated from distance sending music tapes by mail: one in the USA, the other in England.

Designing by mail, this was our premise.

Between the end of April and the beginning of June 2016, we exchanged letters weekly, a total of 10 cards. The first letters were sent simultaneously, with the initial reflection of each on the briefing: a line of lamps. The following were answered alternately, until the selection of alternatives for detailing.

Throughout the process, the distance has become evident in several ways:

The spatial distance between us, living in different cities, reflected in the temporal distance between each stage of the discussion about the project. The distance between the idea written and sent by letter, and the idea evolving in the mind after a week, when the answer is received.

The distance to the very act of writing, sending and receiving a letter, so uncommon in our day to day. The temporal distance between the development of the idea in 2016 and the production of the pieces in 2017.

The luminaires reflect the nostalgic feeling of the 1920s, a "golden" past, but with a contemporary reading focused on practicality and intelligent living, a concept we call "fancy bohemian versatile." The "fancy bohemian" is present in materials, finishes and shapes, which refer to jazz instruments, as well as indirect lighting provided by the luminaires, which creates a nostalgic atmosphere. The "versatile" manifests itself in the construction of the line, which can have its function changed between wall or floor lamp with the variation of only one piece.